Massagem Tântrica para Disfunções Sexuais

Massagem tântrica para disfunções sexuais

Massagem Tântrica Terapeuta Mayã Massagem Tântrica São Paulo, Campinas, , Curitiba Massagista Tântrico Massagem São Paulo
Descubra uma nova maneira para tratar as disfunções causadas por problemas psicológicos

Mais de um terço (32,4%) da população masculina tem algum problema de ereção e, em relação às mulheres, quase metade (44,4%) tem alguma dificuldade para atingir o orgasmo e 40,3% delas sente dor durante a relação sexual. Esses dados foram recentemente revelados por uma pesquisa feita pela psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Programa de Estudos em Sexualidade (ProSex), do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP).

As disfunções sexuais podem colocar em cheque uma vida sexual saudável e diminuir a confiança e autoestima de muitos. Dificuldade sexual às vezes pode acontecer devido ao stress, à alguma doença ou à algum medicamento, mas a partir do momento em que a dificuldade se torna constante e passa causar incômodo e ansiedade, ela se transforma em disfunção sexual e merece atenção.

A seguir algumas das disfunções que mais atrapalham a vida sexual da população.

Uma das disfunções sexuais mais presentes nos homens, estima-se que um em cada 4 brasileiros sofram do problema, de acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia. A ejaculação precoce se caracteriza pela dificuldade em se controlar e ejacula antes do esperado, que pode ocorrer até mesmo antes da penetração. Esse problema costuma a ter mais incidência em jovens, sem experiência sexual, e ao longo do tempo tende a se normalizar. Porém, também é possível a aparecer em homens experientes. As causas podem ser tanto físicas como psicológicas.

Muitas mulheres já relataram problemas sexuais relacionados à dor na hora da penetração, mas não é porque o problema é constantemente relatado que ele é normal! A presença de dor na vagina durante a relação sexual pode ser sintoma de três motivos diferentes: a dispareunia, o transtorno da excitação sexual e o vaginismo. Todos esses três distúrbios podem ter como causas problemas físicos e/ou psicológicos.

A dispareunia pode aparecer em ambos os sexos, porém, é mais comum nas mulheres. O principal sintoma é dor e ardência durante e após a penetração e pode ser sinal de doenças como endometriose ou hérnias genitais. O transtorno da excitação sexual ocorre quando a mulher não consegue se excitar. Quando a mulher se excita, o corpo dela libera substâncias que lubrificam, dilatam e “preparam” a vagina para se “adaptar” à penetração do pênis; se não há a excitação, não há também a dilatação, por isso o motivo da mulher sentir dor. Já o vaginismo, é quando há uma contração involuntária dos músculos da vagina e a penetração torna-se impossível por conta da dor que causa na mulher.

A disfunção eréctil ou impotência sexual pode ter diferentes causas físicas e psicológicas e se caracteriza pela incapacidade do homem atingir ou manter uma ereção firme e adequada para a relação sexual.

Esse é um problema que afeta em sua maioria mulheres, mas não é exclusivo do gênero!

A dificuldade e a incapacidade de se chegar ao orgasmo, chamada de anorgasmia, pode ser a causa da falta ou da diminuição do desejo sexual em grande parte da população feminina.

Você reparou que todas as disfunções sexuais listadas acima podem ter como causa problemas psicológicos e que podem ter nada a ver com o corpo em si? Então, por que as pessoas têm tantos problemas relacionados ao sexo?

Muitas dessas disfunções estão ligadas à própria má educação sexual que nos é passada. A mesma pesquisa que foi citada no começo do texto revelou também que 17,3% dos homens não costumam se masturbar. Já entre as mulheres, sobe para 40% o número das que não se masturbam e, dentre essas, uma em cada cinco mulheres nunca se masturbou.

A capacidade do autoconhecimento é essencial para uma vida sexual saudável, mas com a educação sexual sendo precária, aprendemos que para se chegar ao orgasmo é preciso exercitar os estímulos cerebrais. Esse é conhecido como orgasmo congênito. Nele, precisamos fantasiar situações para o nosso cérebro liberar substâncias que nos dão sensação de felicidade durante o orgasmo.

Com o tantra, aprendemos a desligar dos estímulos cerebrais e nos conectar ao nosso corpo. O orgasmo deixa de ser fantasioso, dentro do cérebro, e passa a ser sentido por cada parte de seu corpo, fazendo com que a sensação do orgasmo seja aumentada. A massagem tântrica para disfunções sexuais faz com que o cérebro deixe de ser o centro do seu prazer, tratando assim, diferentes problemas sexuais causados pelo seu psicológicos.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


WhatsApp Logo