Dúvidas sobre a Massagem Tântrica

Dúvidas sobre a Massagem Tântrica

Massagem Tântrica Terapeuta Mayã Massagem Tântrica São Paulo, Campinas, , Curitiba Massagista Tântrico Massagem São Paulo
O que acontece em uma massagem tântrica?

A massagem tântrica é uma terapia corporal que proporciona ao paciente a capacitação plena de sua potência orgástica e sensorial. A base do trabalho é a energização dos chacras e ativação da energia Kundalini, a energia vital, que expande a nossa consciência e é a responsável por desencadear processos ligados à criatividade.

O processo eleva toda a percepção orgástica e movimenta nossos hormônios ligados ao contentamento e ao prazer. A massagem tântrica auxilia casos clínicos de ejaculação precoce e impotência, nos homens, e anorgasmia (incapacidade de chegar ao orgasmo) e vaginismo (distúrbio sexual que causa dor durante a penetração), nas mulheres.

No Paraíso Tantra, o processo inicial da massagem tântrica dá-se por uma soltura muscular profunda, com base na terapia reichiana, que prepara o corpo para receber a parte sensorial e genital. Todo o processo dura em torno de 1:30h, ou mais, dependendo da necessidade de cada pessoa.

Abaixo, respondemos as principais dúvidas que surgem na cabeça de quem já se interessou pela massagem tântrica, mas ainda não fez uma sessão:


Pode começar com 18 anos, que é quando uma pessoa atinge a maioridade penal e pode responder por si próprio.

Sim! A massagem tântrica não trabalha, necessariamente, o ponto G da mulher, que é localizado na parte interna da vagina. Por isso, não há nenhum contato com o hímen. Antes da sessão através da ficha de anamnese essa informação deve ser marcada para que o terapeuta conduza a sessão da melhor forma possível.

Sim! Todos os profissionais do Paraíso Tantra são totalmente capacitados para desenvolver a massagem e a terapia tântrica. Homens e mulheres atendem ambos os sexos.

Dentro do Paraíso Tantra temos o seguinte critério de especialização: o profissional precisa ser formado em massoterapia ou em terapia holística. Ambos necessitam ter domínio da anatomia e da fisiologia corporal humana e fazer uma especialização em terapia tântrica através de cursos, meditações e vivências, que podem ser feitas dentro do próprio Paraíso Tantra. O profissional também precisa receber muitas massagens, antes de fazê-la. É essencial que ele tenha vivência, pois é necessário receber a massagem tântrica para entender como funciona o processo orgástico no nosso corpo.

Não é necessário.

Sim! Pode tomar uma ducha antes e/ou depois do procedimento, como preferir.

Sim, a massagem é feita com todo o corpo nu.

Não! A sessão é totalmente privada e individual. Não há contato visual com outros clientes, espera em recepção, ou qualquer situação que traga qualquer tipo de constrangimento ao paciente.

Sim, a massagem tântrica envolve o toque nos órgãos genitais, tanto masculino como feminino. Caso não esteja a vontade para esta sessão dispomos de técnicas de sensibilização do corpo onde não terá o toque genital.

Sim! Antes da sessão é feito um prontuário do paciente, onde é preenchida uma ficha informando motivos pela qual busca a terapia e problemas de saúde, sexuais ou traumas psicológicos a serem desenvolvidos na sessão. Durante o procedimento também pode recusar, mas, geralmente, não acontece. Devido à entrega às instruções dadas antes do início da sessão, a pessoa entra em um estado meditativo em que ela redescobre o próprio corpo.

A ejaculação já é um prazer conhecido e a ideia da massagem tântrica é expandir a capacidade sensorial. Portanto, a ejaculação não é o foco da massagem, mas ela pode acontecer.

Não. O paciente precisa estar totalmente entregue ao processo para que ele possa obter uma capacitação orgástica e o conhecimento do próprio corpo. A masturbação é, de uma forma simples, movimentos feitos repetitivamente que levam a uma ejaculação rápida e com um prazer resumido. A ideia da massagem tântrica é ampliar o prazer. O paciente em momento algum é masturbado ou pode se masturbar. Ele recebe uma massagem genital que explora pontos de sensibilidade do pênis, do períneo e do escroto no homem, e da vagina, do púbis e de toda a região externa e/ou interna (de acordo com o consentimento da paciente) na mulher.

A resposta é: não esperar. Vivemos em uma sociedade repressora em que, por incrível que pareça, em pleno século XXI, falar e discutir sobre sexualidade ainda são tabus. A mulher e o homem são reprimidos sexualmente desde o nascimento. “Homem não chora”; “homem não falha”; “homem não usa rosa, porque é de menina”; “homem não pode ser sensível, senão é gay”. “Mulher não pode fazer sexo no primeiro encontro, senão não será considerada uma mulher para se casar”; “mulher não se toca”; “mulher não pode ter desejos sexuais”…
A sociedade já espera e cobra demais de nós, a vida inteira. Por que não relaxar e respirar, e descobrir o que o seu corpo e as suas emoções te reservam?


Redatora: Thais Daniel

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


WhatsApp Logo