Dor durante a relação sexual: Saiba os motivos

Sentir dor durante a relação sexual é muito comum, tanto em mulheres, quanto em homens. No entanto, não é por ser algo comum que se torna algo normal e deixa de ser preocupante ou importante de se verificar, pois, além de abrir a possibilidade de problemas sérios que prejudicam a saúde do indivíduo, também pode ser um empecilho na vida do casal. Por isso, veja, a seguir, dor durante a relação sexual o que pode ser e como tratar o problema da dor durante a relação sexual.

 

Quais podem ser os motivos da dor durante a relação sexual nas mulheres?

São diversos os motivos que podem causar dor e incômodo durante uma relação sexual em uma mulher. A lista vai de problemas físicos e doenças até problemas hormonais, emocionais, como estresse, depressão e situações pós-traumas. Vejamos alguns desses motivos a seguir:

 

1- Infecções

Existem inúmeros tipos diferentes de infecções que podem causar dor na região vaginal. Alguns deles são:

Infecções sexualmente transmissíveis (ISTs): infecções como gonorreia e clamídia podem causar irritação vaginal interna, enquanto o herpes pode causar feridas na vulva e dor durante a relação sexual;

Infecções do trato urinário (ITUs): infecções do trato urinário podem causar a inflamação da uretra e da bexiga, o que pode levar à dor durante a estimulação externa e penetração;

Infecções por fungos: a candidíase, uma infecção causada por excesso do fungo Candida albicans, também pode tornar a relação sexual desconfortável, pois os lábios e a vagina tendem a ficar doloridos e inchados.

Dor durante a relação sexual o que pode ser? | Foto: Freepik

2- Menopausa

Por mais surpreendente que seja, a menopausa também se encontra na lista de motivos que causam dor durante a relação sexual nas mulheres. Isso está relacionado com o fato do corpo passar por mudanças hormonais intensas durante o período, o que pode causar dor durante o sexo com penetração.

Portanto, a relação sexual pode se tornar mais dolorosa com a idade, pois à medida que os níveis de estrogênio caem após a menopausa, os tecidos vaginais se diluem, o que pode causar sintomas de secura vaginal.

 

3- Vaginismo

O vaginismo é uma condição na qual os músculos ao redor da abertura da vagina se contraem repentinamente durante a penetração, tornando a relação sexual dolorosa ou até mesmo impossível em alguns casos. Essa contração está fora do seu controle e pode acontecer mesmo que você se sinta excitada e com vontade de fazer sexo.

Existem maneiras de tratar o vaginismo, mas algumas mulheres podem ter dificuldade em tolerar sexo com penetração. Os tratamentos para o vaginismo podem incluir psicoterapia, fisioterapia pélvica com dilatadores e gerenciamento de medicamentos.

 

4- Vulvodínia

A vulvodínia é uma condição caracterizada por dor crônica ao redor da abertura da vagina. Embora não esteja clara a origem da vulvodínia, até mesmo sentar pode ser doloroso. Os tratamentos para a condição podem incluir medicamentos, fisioterapia pélvica, psicoterapia e também a terapia tântrica.

 

5- Ressecamento vaginal

Caso sua vagina não esteja lubrificada o suficiente durante a relação sexual, isso pode causar uma fricção irritante nas paredes vaginais, tornando a penetração dolorosa. Existem muitos motivos pelos quais sua vagina pode estar seca, além das alterações hormonais causadas por um ciclo menstrual, gravidez e menopausa. Com o tempo, fazer sexo sem lubrificação suficiente pode causar inflamação na vagina, o que pode provocar o rompimento e sangramento dos tecidos vaginais durante a relação sexual. Uma das causas da secura é a pressa no sexo.

Se este for o seu caso, dedicar mais tempo às preliminares pode aumentar a lubrificação da vagina e ajudar a prepará-la para a penetração. Certos remédios também podem diminuir sua capacidade de lubrificação natural, alguns dos medicamentos comuns que causam secura incluem pílulas anticoncepcionais, alguns antidepressivos e medicamentos para alergia.

Mesmo quando você está excitada, seu corpo pode não produzir lubrificante suficiente para que o sexo seja confortável e positivamente estimulante. Usar um lubrificante, especialmente um que seja hidratante e hipoalergênico, para evitar futuros problemas, pode ser muito útil.

 

6- Endometriose

A endometriose é uma doença em que um tecido semelhante ao que normalmente reveste o útero começa a crescer em outras partes do corpo. Geralmente, afeta outros órgãos da pelve, como ovários, trompas de Falópio e até mesmo intestinos.

Normalmente, sua vagina se estica e se expande durante a relação sexual sem causar dor, mas quando o tecido uterino cresce na parede posterior da vagina ou na frente do reto, essa expansão pode se tornar dolorosa.

 

7- Miomas

Miomas são tumores benignos e não cancerígenos que podem crescer dentro ou fora das paredes do útero. Dependendo de onde crescem, os miomas podem ocasionar dor na pelve e tornar o sexo desconfortável. Em particular, os miomas que crescem perto do colo do útero, a abertura do útero na parte superior da vagina, podem causar sensibilidade e tornar o sexo com penetração doloroso.

 

8- SII

A síndrome do intestino irritável (SII) é um distúrbio comum do intestino grosso que causa dor de estômago, inchaço e fezes anormais. A SII também está associada a uma maior sensibilidade à dor em seus órgãos, que pode incluir sua vagina. Ter uma barriga inchada e dolorida também pode tornar a pressão e o movimento do sexo mais desconfortáveis para quem sofre de SII, causando dor e incômodo durante a relação sexual.

 

Em homens: dor durante a relação sexual, o que pode ser?

Embora seja menos comum, os homens também podem sentir dor durante o sexo e, assim como no caso das mulheres, também são diversas as possíveis causas.

 

1- Infecções

As Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) também podem tornar o sexo doloroso para os homens, principalmente infecções como herpes, que fazem com que a pele do pênis fique inflamada e sensível. Embora seja menos comum, os homens também podem ter infecções fúngicas, que podem causar coceira ou até mesmo feridas no pênis e ânus.

O risco de infecção por fungos pode ser maior se você não for circuncidado, isso é, realizar a remoção do prepúcio do pênis, ou se tiver relações sexuais com penetração desprotegidas com um parceiro que já possui uma infecção causada por fungos.

 

2- Doença de Peyronie

A doença de Peyronie é uma condição que ocorre quando um tecido cicatricial anormal se forma no pênis, geralmente após uma lesão. Quando você tem uma ereção, seu pênis normalmente se enche de sangue e se expande, mas como o tecido da cicatriz não pode esticar, seu pênis pode ser deformado e forçado a dobrar, sendo possível ocasionar dor durante a relação sexual.

3- Fimose

Quando um pênis não circuncidado fica ereto, o prepúcio, a pele que reveste o pênis, geralmente se retrai sobre a glande para permitir que ele se expanda e, em seguida, retorna à sua posição original quando a ereção retorna à linha de base.

No entanto, se o prepúcio estiver muito tenso, ele pode ficar preso na cabeça do pênis enquanto está ereto, fazendo com que a pele se rache ou fique dolorida. Ao ficar preso abaixo da cabeça, depois que o pênis não está mais ereto, o prepúcio apertado pode interromper o fluxo sanguíneo para a glande do pênis, causando inchaço e dor.

 

4- Prostatite

A prostatite ocorre quando a próstata, a pequena glândula localizada abaixo da bexiga, fica inflamada e inchada. A prostatite geralmente causa dor ao urinar, mas também pode causar dor generalizada no pênis. Como a próstata produz o fluido que se combina com o esperma para formar o sêmen, a prostatite também pode causar dor na ejaculação e no orgasmo durante a relação sexual.

 

Soluções e tratamentos para dor durante a relação sexual

Dentre os problemas e doenças que já foram citados e que causam dor durante a relação sexual, existem alguns que têm tratamentos possíveis, assim como também existem aqueles que não possuem um tratamento ideal devido as diversas causas. Por isso, o ideal é procurar um médico especialista, seja ginecologista ou andrologista, para analisar o caso em específico e detalhadamente, através de consultas e exames, para assim, poder aconselhar o paciente e indicar a melhor solução ou o melhor tratamento adequado, seja através de medicamentos, consultas rotineiras com terapeutas, ou até mesmo cirurgias.

Dentre algumas soluções nós recomendamos ao ser descartado casos clínicos que necessitem de intervenções médicas procurar um profissional especializado em Saúde Sexual e Prazer corporal, como os terapeutas tântricos, educadores sexuais somáticos e sexólogos somáticos.
Os tratamentos alternativos da E.S.S. (educação sexual somática) que possuem bases nos mais recentes estudos científicos podem auxiliar com diversas problemáticas de origem sexual. Principalmente oferecendo novas formas de se relacionar com o prazer corporal e a mudança de hábitos, que interferem diretamente na diminuição ou até mesmo ausência de prazer nas relações sexuais.

 

Centro de Massagem Tântrica em São Paulo.

Estamos localizados no bairro Jardins em São Paulo, Campinas e Brasília. Conheça os nossos serviços e nosso time de terapeutas que vão te ajudar.

Open chat